Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
4 Passos da Comunicação Não Violenta
23/06/2020 07:47 em Novidades

Rio de Janeiro (Sunset-fm) - Se existe algo que todas as pessoas, sem exceção, tem em comum é a necessidade. Todos nós temos necessidades como : proteção, amor, segurança, cooperação, respeito... Ainda que cada um tenha uma maneira de suprir essa necessidade, a necessidade nos conecta enquanto pessoas. A Comunicação Não-violenta é uma forma de expressão e de escuta que leva em consideração as necessidades para construir uma conversa mais amorosa, empática e humana.

Atualmente, concentramos atenção em lugares onde é improvável que a gente consiga o que quer. O julgamento e a tentativa de sempre propor uma solução quando alguém vem falar conosco faz com que isso afaste ao invés de aproximar pessoas.

Mas como conseguir essa comunicação? A CNV propõe quatro passos:

1º passo - Observar: tire a si mesmo da situação. Perceba o que agrada ou desagrada, sem avaliar ou julgar. Apenas olhe o que está acontecendo ali sem se sentir nem vítima nem opressor.

2º passo: Identificar e expressar sentimentos: como eu me sinto nessa situação? Triste? Com raiva? Feliz? Frustrado? Importante distinguir o que sinto do que acho que o outro sente ou faz.

Ex: Ao invés de dizer “Acho que você está me ignorando”, dizer: “Sinto-me insignificante quando você age dessa maneira”.

3º passo: Reconhecer qual necessidade está ligado ao sentimento identificado. Lembrando que sentimento é escolha, é como eu escolho receber o que chega até mim. Não é um poder que dou ao outro.

4º passo: Pedir. Formular de maneira concreta, sem linguagem vaga. Eu sei o que realmente quero? Como alguém vai fazer o que peço se nem eu sei o que quero? Se eu pedir sem falar meus sentimentos, será uma exigência. Se eu apenas expressar meus sentimentos sem dizer o que quero concretamente, pode ser lido como uma confusão.

Quando estamos conscientes das nossas necessidades, fazemos escolhas de maneira consciente. Sei porque escolho aquilo, qual necessidade quero satisfazer. Sendo assim, não me culparei ou julgarei pelas consequências pois sei o que me move a agir daquela maneira.

Por Andressa Somogy

Mas informações:

@infinitoadentro

(62) 99510-3737

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
PUBLICIDADE
Para ouvir nossa rádio, baixe o aplicativo RadiosNet para celulares e tablets com Android ou iPhone/iPads.